A Educação é o único caminho

Como crescemos

O objetivo da ONGD Na Rota dos Povos é apoiar o desenvolvimento dos PALOP, fora dos grandes centros populacionais, em zonas carenciadas ao nível da educação e formação cultural.
Desde a sua fundação, em 2001, foram realizadas dezenas de palestras em escolas, associações e outras instituições, sobre as viagens dos associados e os seus propósitos humanitários. Paralelamente, foram realizadas ações específicas com destino a Angola e Timor-Leste. Destas vivências surgiu, em 2010, o projeto:

"A Educação é o Único Caminho"

De 2011 a 2017, na região de Tombali, Guiné-Bissau…

No âmbito deste projeto, a Na Rota dos Povos levou, para a região de Tombali, um total de 16 contentores (de 40 pés) de equipamento e material escolar, de saúde e informático.

Em 2011, foram equipadas algumas escolas de Catió, com o material enviado em 2 contentores, e distribuído, no local, por voluntários da Na Rota dos Povos.

Em 2012, seguiram, por via marítima Porto-Bissau e Bissau-Catió, 5 contentores, acompanhados por 3 voluntários.

Após um levantamento das necessidades de cada uma das 38 escolas das tabancas do setor de Catió, os voluntários entregaram pessoalmente, a cada comunidade, carteiras, cadeiras, quadros de giz e portas suficientes para equipar todas as salas de aula em funcionamento na altura. Os alunos dessas escolas receberam também o material escolar (lápis, canetas, borrachas, aguças, cadernos, papel, etc) e os brinquedos recolhidos pela comunidade escolar (em especial pelos alunos) das escolas portuguesas que apoiam este projeto.

Com os livros angariados em Portugal, foi criada a Biblioteca Na Rota dos Povos, na cidade de Catió, com duas secções distintas: a infantil, que dispõe de cerca de 1.500 livros e muitos jogos didáticos, e que é também uma videoteca, totalmente equipada para a projeção de filmes infantis; e a secção para jovens e adultos, onde estão 8.000 livros (escolares e não escolares). Foi também criada uma Biblioteca itinerante, que promove a entrega e rotação mensal de livros a todas as escolas das tabancas do setor de Catió.

Em novembro de 2013, seguiram, desta vez por via terrestre de Bissau a Catió, 5 contentores, cujo conteúdo se destinou, fundamentalmente, a equipar todas as salas de aula em funcionamento das 10 escolas do setor de Komo, com carteiras, cadeiras, quadros de giz e portas. O levantamento de necessidades de cada uma destas escolas foi efetuado inicialmente em abril de 2013 e confirmado nas visitas efetuadas no ano anterior.

À semelhança dos anos anteriores, foram ainda entregues brinquedos.

Nos contentores de 2013 estavam também computadores. Tirando partido de 2 locais com acesso, ainda que limitado, a energia elétrica em Catió foi instalada, em parceria com uma ONG local, uma sala de informática com 25 computadores, onde será ministrada formação gratuita de iniciação à informática a um mínimo de 100 crianças por ano. E a secção adultos da biblioteca Na Rota dos Povos de Catió, foi equipada com 4 computadores para que, por exemplo, os livros eletrónicos aí disponíveis possam ser utilizados.

Com os livros que também tinham sido angariados em Portugal, foram criadas mais duas Bibliotecas, para jovens e adultos, nas vilas de Quebo e Bedanda, com respetivamente, cerca de 4.000 e 2.500 livros escolares.

Na missão de 2013 (6 semanas), os 2 voluntários da Na Rota dos Povos concentraram-se na distribuição do equipamento e na montagem das bibliotecas e das salas de informática, para além da avaliação, no terreno, das condições atuais das escolas apoiadas nos anos anteriores. Foi ainda levada a cabo uma outra ação, recebida com enorme entusiasmo pelas crianças e comunidades abrangidas: a projeção de filmes infantis, à noite, numa tela montada num jipe, com um projetor e um leitor de vídeo alimentados por um mini-gerador. Nas tabancas de Camaiúpa e Gambana estiveram, nessas noites, mais de 150 e 200 pessoas a assistir aos filmes.

Em 2016 chegaram a Catió, com 3 voluntários da Na Rota dos Povos, mais 2 contentores com equipamento e material escolar, livros, computadores, brinquedos e roupa, e a mota que passou a garantir o funcionamento da Bibliocinema Itinerante - a “bibliomota”. Levavam ainda as 80 placas toponímicas realizadas pelas escolas participantes no projeto, para identificação das tabancas apoiadas.

Para além da reavaliação das condições atuais das escolas apoiadas, durante as 7 semanas da missão 2016 os voluntários distribuíram o conteúdo dos contentores de acordo com as necessidades de cada tabanca, onde também foram colocadas as placas toponímicas. Foi também montada uma nova sala de informática, com 36 computadores, junto à Biblioteca Na Rota dos Povos de Catió, apoiada por um gerador de grande potência que foi doado por uma entidade privada ao Liceu de Catió. Foi também implementada a ação “Restaurar para Reutilizar”, que permitiu reabilitar 150 carteiras em salas de aula equipadas pela Unicef. A nova biblioteca Na Rota dos Povos, em Cacine, ficou também preparada para brevemente iniciar o seu funcionamento.

Já em 2017 foram enviados mais 2 contentores, com equipamento e material escolar, brinquedos, roupa e bens para apoio à saúde em Catió. Para além disso, seguiram nesses contentores 11 toneladas de cal e 80 chapas transparentes, para implementação das ações “Pintura Sustentável” e “Luz a Metro”. Foram recebidos e distribuídos em duas missões, uma em Março e outra em Agosto de 2017, que contaram com a ajuda de um total de 6 voluntários portugueses. Nessas missões, com a duração total de 2 meses, foi feito o acompanhamento das 36 escolas do sector de Catió (não foi possível, por razões logísticas, a visita às 13 escolas da ilha de Komo), nomeadamente a avaliação de necessidades de cada uma e posterior distribuição, quer do material escolar, quer da cal e chapas transparentes. Os projetos “Pintura Sustentável” e “Luz a Metro” foram implementados em quase todas as escolas. A Biblioteca de Catió foi totalmente reorganizada, tendo-se tornado mais funcional para todos os que a frequentam.

Em resumo, no âmbito do projeto “A Educação é o Único Caminho”,

Foram abrangidos mais de 10.000 alunos, em intervenções em 49 escolas e 157 salas de aula (da 1ª à 6ª classe), onde foram colocados quadros de giz e carteiras suficientes para as crianças estudarem em condições dignas. Foi distribuído material escolar, livros de apoio para os professores e brinquedos didáticos. Foram criadas, nestes 6 anos, 5 bibliotecas: Catió - Adultos, Catió - Infantil, Catió - Itinerante, Bedanda - Escolar e infantil, Quebo - Escolar e Cacine - Escolar e Infantil. Dispõem, no total, de 17.000 livros. As bibliotecas de Catió (Adultos, Infantil e Itinerante) são também videotecas, equipadas com mini-gerador, projetor, leitor de VHS e tela que permitem a visualização das centenas de filmes infantis e educativos disponíveis. Foram instaladas duas salas de informática com um total de 60 computadores.  Foram implementadas as ações “Pintura Sustentável, pintura/caiação das paredes interiores e exteriores das escolas e “Luz a Metro”, que permitiu a substituição de algumas chapas de zinco dos telhados por chapas transparentes, iluminando, durante o dia, as salas de aula.

Como?

Este projeto dependeu sempre do apoio, imprescindível, das escolas portuguesas, dos seus alunos, e de toda a comunidade escolar.

Ao longo dos anos a Na Rota dos Povos tem vindo desenvolver ações/micro-projetos nas escolas portuguesas que têm permitido criar uma grande proximidade entre os seus alunos e o projeto, sempre convictos de que, com estas iniciativas, também as escolas e os alunos portugueses beneficiam, em termos pedagógicos, com o projeto “A Educação é o Único Caminho”.

Os voluntários da ONGD procuram também outro tipo de apoios, sempre atentos às oportunidades que no dia-a-dia surgem, através de particulares ou empresas/instituições, de obter contributos para o projeto.

Ações permanentes:

Material escolar solidário

No âmbito do projeto “A Educação é o Único Caminho”, a Na Rota dos Povos equipou 49 escolas, onde estudam cerca de 10.000 alunos, com mesas, cadeiras, quadros e portas, que servirão esta e as futuras gerações. Mas para ensinar com condições é também preciso que as crianças tenham materiais escolares, que são consumíveis e necessitam de reposição, no mínimo, anual. O objetivo desta ação é aproveitar ao máximo o material usado ou não utilizável em Portugal e entregá-lo a quem disso depende para poder aprender.

Objetivo: Angariação e recolha de lápis, borrachas, aguças, esferográficas, papel (novo ou usado de um lado), pincéis, tintas, esquadros, réguas, transferidores, compassos, giz branco e de cor.

Falando sobre…

Palestras, pelos voluntários da ONGD, baseadas nas suas próprias vivências e acompanhadas de filmes e fotografias, promovendo assim a interação com os alunos portugueses, mostrando-lhes outras culturas, outras religiões, outras realidades - nomeadamente as apoiadas diretamente pela Na Rota dos Povos.

Temas abordados: “Direito à Educação”, “Aventura e Solidariedade”, “Voluntariado e Direitos Humanos”, “Solidariedade e Multiculturalismo”, “Direito à Diferença, mas não à Indiferença”.

O nosso Amigo Livro

Na região que apoiamos não há energia elétrica. A única forma de aprender era o “passa-palavra”, porque também não havia livros. Com o apoio dos alunos portugueses, criámos bibliotecas escolares, que agora é importante dotar de outro tipo de livros. É também necessário disponibilizar dicionários e gramáticas de Português, prontuários e tabuadas diretamente às escolas, para que possam ser utilizados durante as aulas.

Objetivo: Angariação e recolha de livros (não escolares), para a criação de bibliotecas de adultos e infantis, e de dicionários de Português, gramáticas, prontuários e tabuadas.

Educar para as Novas Tecnologias

A Educação é o Único Caminho, e é, atualmente indissociável das novas tecnologias. É extremamente difícil encontrar locais com eletricidade na região de Tombali, essencial para que possamos proporcionar o acesso também a este mundo. No entanto, será possível, com esforço das comunidades e apoios institucionais, replicar noutros locais o que já fizemos em Catió com a sala da informática, onde é dada formação básica às crianças e jovens.

Objetivo: angariação de computadores, portáteis ou fixos, impressoras e outro material informático, para manter/melhorar o parque informático atual e estender esta ação a outros locais (foi já possível angariar 60 computadores e instalar duas salas de informática)

Aprender brincando

Brincar é um direito de todas as crianças. É fundamental para o desenvolvimento das suas capacidades, e para a sua felicidade. A criatividade leva ao aparecimento de imaginativos brinquedos feitos com bocados de madeira, de barro, de caricas ou de latas! Mas, aproveitando o que já não tem utilidade para as nossas crianças, podemos estimular de forma decisiva a aprendizagem dos jovens de Tombali.

Objetivo: Angariação e recolha de jogos didáticos, filmes infantis (DVD em português), brinquedos e peluches.

Pintura Sustentável

Asseguramos a pintura/caiação das paredes interiores e exteriores das 49 escolas abrangidas pela nossa intervenção.

Este projeto foi implementado em quase todas as escolas apoiadas, através de uma parceria estabelecida com a ONGD Tabanca Pequena, que doou a cal e o sabão necessários.

As paredes são de blocos de terra escura secos ao sol e os telhados de zinco ou palha.

A fragilidade deste tipo de construção não permite ter janelas com dimensões minimamente razoáveis. As paredes são muito vulneráveis à chuva e também aos insetos rastejantes. Um dos grandes problemas das salas de aulas é a fraca luminosidade.

Dadas as condições do território envolvente, é difícil manter as salas com aspeto limpo, asseado e atraente para as crianças e professores.

Objetivo: é agora necessário assegurar a manutenção/melhoria do estado das escolas, com tinta apropriada e cimento para o pavimento.

Luz a Metro

Pretende-se iluminar, durante o dia, as escolas que apoiamos, a partir da colocação de placas de material transparente a substituir algumas chapas de zinco dos telhados. Em cada sala de aulas serão necessárias 2 a 4 placas, em função da respetiva dimensão.

Este projeto foi implementado em quase todas as escolas apoiadas, através de uma parceria estabelecida com a ONGD Tabanca Pequena, que doou parte das placas necessárias.

Objetivo: sensibilizar empresas que fabriquem ou comercializem este tipo de material, a disponibilizarem as placas transparentes necessárias para 120 salas de aula, o que corresponderia a cerca de 210/250 placas, com a dimensão de 1,80m por 0,80m ou, em alternativa, a doação do valor de aquisição das mesmas.

Restaurar para Reutilizar

Restaurar carteiras escolares, fornecidas pela Unicef há alguns anos, que estão danificadas pela água. As estruturas são reutilizáveis, mas é necessário substituir os tampos, assentos e costas, que eram feitos em cartão prensado, por madeira a angariar em Portugal.

Objetivo: sensibilizar empresas, que trabalham a madeira, a disponibilizarem as 1250 tábuas necessárias para recuperarmos as carteiras da UNICEF e levarmos também carteiras, cadeiras e armários para as escolas ainda não equipadas. Foi possível obter de uma empresa de madeiras, um donativo em espécie de 450 tábuas, que irão recuperar 150 carteiras. Há ainda cerca de 250 estruturas em condições para restauro.

Bibliocinema Itinerante

Na região de Tombali, como em tantas outras zonas da Guiné-Bissau, os livros eram uma raridade. A única forma de aprender era o “passa-palavra”. Os livros oficiais do ensino básico, da 1ª à 6ª classe, eram muito poucos e muito estragados. A partir do 7º ano, não existem livros oficiais. A criação de uma Bibliocinema itinerante, com a componente de livros e de cinema, tem como razão o consideramos que os jovens que vivem nas tabancas, fora dos centros mais importantes, também têm direito á leitura e à visualização de filmes (em muitos casos, pela primeira vez). Esta ação promove a entrega e rotação mensal de livros a todas as escolas das tabancas do setor de Catió e, aproveitando alguns desses momentos de visita às tabancas, efetuar a projeção de filmes infantis.

Como as distâncias entre as tabancas são grandes e os acessos muito difíceis precisávamos de um meio de deslocação.

Objetivo: assegurar a manutenção da motorizada que permite a execução deste projeto e, a médio prazo, equacionar a sua substituição, dadas as péssimas condições das estradas, é fundamental. (com o apoio da ONGD Tabanca Pequena e de um particular, adquirimos uma motorizada usada de 125 cc, em 2015).

Ensinar a Ensinar

A capacitação dos professores do ensino básico (1ª ao 6º), em particular dos que lecionam nas tabancas, é manifestamente insuficiente para garantir resultados satisfatórios. São eles próprios que o reconhecem, e que solicitam o nosso apoio. Pretende-se, com este projeto, responder a este apelo.

Objetivo: criar condições para realizar acões de formação dos cerca de 60 docentes da 1ª classe ao 6º ano.

Formação - Construir o Futuro

Em 2011, a Na Rota dos Povos promoveu a vinda de 7 raparigas e 8 rapazes de Catió para estudarem, durante 3 anos, em Portugal. Estes jovens concluíram no ano lectivo 2013-2014 a sua formação (equivalente ao 12º ano de escolaridade), como Técnicos de Produção Agrícola (9), Técnicos de Frio e Climatização (5) e Técnico de Energias Renováveis (1), na Escola Profissional Agrícola e de Desenvolvimento Rural de Carvalhais, em Mirandela.

Neste momento, estão 8 jovens em Portugal, no terceiro ano da Licenciatura, no IPB (Politécnico de Bragança), com forte apoio desta instituição.

Regressarão à Guiné-Bissau com conhecimento e preparação para contribuírem ativamente para o desenvolvimento da sua região e do seu país, nomeadamente na área da educação.

Entretanto, concluímos as ações:

A nossa tabanca tem nome

Ao longo dos anos, a Na Rota dos Povos tem vindo a tentar incutir, nas comunidades e escolas guineenses apoiadas, um sentimento de orgulho e de pertença das crianças em relação à sua escola e à sua tabanca. Com esta ação pretendemos contribuir para esse objetivo, desafiando as escolas portuguesas apoiantes a construírem/decorarem criativamente placas toponímicas, para serem colocadas à entrada e saída de cada tabanca, identificando-as de forma inequívoca.

Execução de 88 placas toponímicas para 44 tabancas dos setores de Catió e de Komo. e também placa toponímica para Catió. Foi possível com o apoio de 17 escolas produzir as placas toponímicas necessárias, entretanto colocadas.

Uma peugada do tamanho do mundo

A Na Rota dos Povos tenta, em cada projeto, criar uma ligação entre os apoiantes e os beneficiários, que permita aos primeiros sentirem e verem os frutos do seu esforço, e aos segundos “conhecerem” quem os acarinha, a tantos quilómetros de distância.

Como? Um dos exemplos é a ação “Uma Peugada do Tamanho do Mundo”!

O objetivo é reunir um número significativo de alunos, em cada escola, que adquiram, por um preço simbólico, um sapato, que depois personalizam, e que representa a marca deixada pela passagem o sentimento de solidariedade. É depois desenhada, no chão de cada escola aderente, uma peugada gigante onde os alunos se colocam com o seu sapato/peugada, e a partir de onde mandam uma mensagem, que é filmada, aos alunos da Guiné-Bissau, para que eles os “conheçam”.

As mensagens dos alunos foram mostradas aos alunos guineenses, e a entrega dos materiais foi filmada para ser vista pelos alunos portugueses! 

Direitos de autor © 2018 Na Rota dos Povos. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre produzido sob a licença GNU GPL.